Vidas negras e indígenas e a Covid-19

Subnotificações, escassez de dados nas estatísticas epidemiológicas, falhas nos registros de óbitos, são vários os fatores que impedem um dimensionamento confiável do pesado impacto da covid-19 em grupos mais vulneráveis, como a população negra e a população indígena no país. E são aspectos menos ou mais evidentes desse impacto, das mortes e letalidade mais alta da doença à perda de renda e moradia entre esses grupos, que o webinar “Vidas negras e indígenas e a covid-19”, organizado pelo Ciência na rua em parceria com a Rede CoVida e Agência Bori, vai debater nesta quinta-feira, 18 de junho, às 11:00 horas.

Estarão na mesa virtual pesquisadores, ativistas e comunicadores comprometidos com as lutas contra o racismo estrutural da sociedade brasileira e as agressões aos povos indígenas. São Rosane Borges, da Universidade de São Paulo (USP), Emanuelle Goes, do Cidacs-Fiocruz, Daniel Munduruku, do Instituto KUA, Ana Carolina da Hora, cientista da computação e criadora do Ogunhe Podcast, e Gilberto Caetano, editor e roteirista, do Diálogos Afrurbanos.

O webinar é o décimo e último de uma série sobre aspectos fundamentais da covid-19, iniciada em 9 de abril e voltado em especial a jornalistas e comunicadores populares. O link para se inscrever pelo Zoom é https://bit.ly/2YN0G0i. Os interessados podem acompanhar os debates e enviar seus comentários também pelo canal do YouTube do Cidacs/Fiocruz.