Webinário discute fome e solidariedade na pandemia

Além da pandemia, falta de vacinas e alto número de óbitos em decorrência do coronavírus, em 2021 o Brasil voltou a enfrentar um crime que parecia ter sido superado: a fome. De setembro a outubro do ano passado, 116,8 milhões de brasileiros sofreram com algum grau de insegurança alimentar. Isso significa que mais da metade da população do país não tinha garantia de ter o que comer nas refeições. Além disso, 9% da população é afetada pela insegurança alimentar grave, ou seja, 19 milhões de brasileiros estão passando fome. Os dados são do Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil, desenvolvido pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (Rede PENSSAN).

A pesquisa mostrou ainda que as regiões que mais sofrem com a fome são a região Norte e Nordeste, com 18,1% e 13,8% dos lares com insegurança alimentar grave, respectivamente. Além disso, o problema é mais recorrente em domicílios chefiados por mulheres, por pessoas pretas e pardas e por pessoas sem escolaridade ou com Ensino Fundamental incompleto, mostrando que gênero, cor e grau de escolaridade são fatores que de alguma forma afetam a segurança alimentar.

Para discutir os contextos sociais do problema e as atuações para mitigar a fome no Brasil, a Rede CoVida recebe Preto Zezé, presidente da Central Única das Favelas (Cufa), e Sandra Chaves, professora da Escola de Nutrição da UFBA e membro da Rede CoVida, em webinário que será realizado na próxima quinta feira, dia 20, às 16h. O evento será transmitido pelo canal do Cidacs/Fiocruz no YouTube e será moderado por Lígia Amparo, professora da Escola de Nutrição da UFBA e membro do GT de Alimentação e Nutrição da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco).

“Fome em tempos de pandemia: a insegurança alimentar no Brasil”
Quando: 20/05 (quinta-feira), às 16h
Inscrições: clique aqui
Transmissão: canal do Cidacs/Fiocruz

Deixe uma resposta