#CoVida Verifica. É falso que diretor da OMS disse que irá nas casas das famílias para apreender e isolar crianças diagnosticadas com o novo coronavírus

Por Mariana Alcântara para Rede CoVida

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra o comentário de um jornalista sobre declaração do chefe do Programa de Emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mike Ryan. Na ocasião, uma coletiva de imprensa, Ryan afirma que “a transmissão do novo coronavírus foi retirada das ruas e empurrada para as unidades familiares e que os doentes devem ser removidos e isolados de maneira segura e digna”. Em seguida, o jornalista afirma que a OMS ameaça ir até as casas das pessoas para apreender e tomar os filhos diagnosticados com o novo coronavírus e que esse tipo de situação pode gerar violência.

O vídeo, que foi veiculado na página do YouTube de Carlos Bolsonaro, já contava com 23,6 mil visualizações às 22h26 do dia 7 de abril té as 22h26 do, três horas após a sua publicação. Essa sugestão foi encaminhada pelo diretor de Inovação e Tecnologia da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Arnaldo César Ricci. Confira a checagem do #CoVida Verifica:

Michael Ryan
Vídeo publicado no YouTube de Carlos Bolsonaro contendo comentário de jornalista sobre informações dadas pelo diretor da OMS, Michael Ryan, em coletiva de imprensa.

 

O conteúdo em questão traz a seguinte legenda:

“Em grande parte do mundo, devido à quarentena, muito da transmissão que tem acontecido agora, está acontecendo dentro de casa, a nível familiar. De certa forma, a transmissão foi retirada das ruas e empurrada para as unidades familiares. Agora, temos que ir e olhar dentro das famílias para achar essas pessoas que estejam doentes, removê-las e isolá-las de maneira segura e digna”.

Em seguida, o comentarista do telejornal comenta: “Só para você saber, estamos indo na sua casa, apreendendo suas crianças e abre aspas: ‘Isolando-as de maneira segura e digna’, o que quer que isso signifique”. E continua: “Agora, isso não é algo que, em situações normais, oficiais falam casualmente durante coletivas. É o tipo de informação que pode gerar violência. As pessoas não respondem bem quando você ameaça tomar seus filhos. Mas Ryan disse como se não fosse grande coisa. E foi assim que a mídia tratou. A sua ameaça não foi capa de nenhum grande jornal neste país. Este é o tipo de momento em que estamos”, finaliza.

O conteúdo do vídeo, analisado pelo CoVida Verifica, é considerado falso, pois induz a uma interpretação deturpada e descontextualizada sobre a declaração do diretor da OMS. A publicação no YouTube de Carlos Bolsonaro diz respeito a um trecho do talk show noturno Tucker Carlson Tonight, um dos programas de maior audiência do canal Fox News, comandado pelo comentarista político Tucker Carlson. Conhecido pela sua posição conservadora, o jornalista é considerado por muitos como um conselheiro informal do presidente Donald Trump.

Em seu programa, Carlson utiliza fragmentos de uma declaração realizada durante coletiva de imprensa sobre a pandemia de Covid-19, realizada na sede da OMS, em Genebra, no dia 30 de março de 2020, em que participam o diretor geral, Tedros Adhanom, o diretor executivo e a líder técnica do Programa de Emergências em Saúde, Michael Ryan e Maria Van Kerkhove, respectivamente.

No vídeo da OMS, que está disponível no YouTube, o intervalo que vai de 49’55’’ até 50’54’’ refere-se exatamente à fala de Michael Ryan utilizada por Carlson para o programa da Fox News:

No momento, na maior parte do mundo, que faz o lock down, a maior parte da transmissão agora está acontecendo nos lares, no nível familiar. De certa forma, a transmissão está saindo das ruas e trazida de volta para a unidade familiar. Agora, nós temos que ir até as famílias e procurar aqueles que possam estar doentes, removê-las e isolá-las de maneira segura e digna. Então, era isso que eu estava dizendo anteriormente. A transição de restrição de circulação, shut downs e ordens de ficar em casa pode apenas ser feita se nós tivermos os meios para sermos capazes de detectar casos suspeitos, isolar casos confirmados, rastrear e acompanhar os contatos e isolar as pessoas que ficarem doentes”.

De certa maneira, a legenda em português para a fala de Michael Ryan na coletiva de imprensa está correta. O problema vem depois, com o comentário de Tucker Carlson. Em nenhum momento, ao longo de 1h05’12’’, tempo que durou a coletiva, o diretor da OMS fala em “apreender crianças” e “ameaçar tomar os filhos das pessoas”. Essas foram as palavras utilizadas exclusivamente pelo jornalista americano em sua interpretação do discurso da OMS para a Fox News. Pode-se dizer que o discurso de Ryan foi editado fora de seu contexto e distorcido pelo apresentador.

Vale ressaltar que, quando esta checagem foi realizada, a postagem de Carlos Bolsonaro já contava com mais de 600 comentários, dentre os quais estão o de Stefan Stef, que afirmou o seguinte:

“Dória vai querer copiar isso, deve estar eufórico pra começar… Aquele ‘pequeno homem’ com sua descontrolada ganância por poder”. Também, o perfil de Gigi in USA comentou: “Jair Bolsonaro mais uma vez tem razão! Esse confinamento é um teste piloto. A China vai comprar o Brasil e em breve seremos nós os escravos chineses que trabalham de sol a sol por 100 dólares ao mês. Apoiadores de Bolsonaro, abram o olho. Nunca mais teremos essa oportunidade de um presidente sério de direita. Bora para as ruas pelos direitos individuais”, disse.

Também, o perfil Trovador da Matta escreveu: “Ele acabou confessando que o confinamento ajudou na transmissão do vírus. Alguém mais viu isso?”. E Sandra Saray afirma: #ForaMandetta. Acorda Brasil! Vamos Trabalhar duro por um país melhor! Tratamento ambulatorial com HidroxiCloroquina para todos!”.

O vídeo traz ainda a informação de que as legendas foram feitas por “twitter@RFGlau”. Sendo assim, ao buscar a referida página, encontramos o autor das legendas e da postagem que deu origem aos compartilhamentos em série do trecho do Tucker Carlson Tonight. Trata-se do perfil de Rafael Glau (@RFGlau, atualmente com consta suspensa na plataforma), onde constam na descrição os seguintes textos: “Deus abençoe nossa pátria querida”, “God bless our beloved homeland” e “Legendo vídeos sobre política para informar de verdade, sem distorção”.

Twitter de Rafael Glau
Twitter de Rafael Glau, que faz legendas de vídeos sobre política.

 

No topo da página há uma fotografia de Jair Bolsonaro apertando a mão de Donald Trump, além de contar com diversas postagens de apoio aos presidentes brasileiro e americano, bem como teorias conspiratórias sobre os chineses e o Covid-19 e ataques à imprensa. Uma busca no twitter de Rafael Glau mostrou a origem do vídeo publicado pelo filho do presidente. Trata-se de uma distorção produzida com vistas a desinformar a população sobre as medidas de prevenção frente à pandemia, que busca desmoralizar a OMS e, consequentemente, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Segue abaixo a publicação:

Vídeo legendado por Rafael Glau
Vídeo legendado por Rafael Glau foi utilizado por Carlos Bolsonaro em sua página no YouTube.

 

Ainda, o tweet fixado na página de Rafael Glau exibe uma publicação do dia 2 de abril que mostra uma suposta reportagem do jornal Poland Daily sobre um pronunciamento de Jair Bolsonaro. Na legenda, Glau escreve que o telejornal “cita o vídeo legendado do diretor da OMS que nós viralizamos”. O autor das legendas agradece aos “samurais” que “ficaram o dia inteiro enchendo o saco de geral postando o vídeo”. E agradece: “Parabéns, seus meliantes!”.

Postagem fixada no Twitter de Rafael Glau
Postagem fixada no Twitter de Rafael Glau agradece aos colaboradores pelo compartilhamento do vídeo sobre coletiva da OMS.

 

Deixe uma resposta